Superando a inércia

Tempo de leitura: 4 minutos

Na publicação anterior, escrevi que hoje traria algumas premissas que remetem a soluções para nos libertarmos do vício da PROCRASTINAÇÂO, que nos expõe, nos prejudica, nos fere a imagem e a ética, bem como nos faz correr sérios riscos de estarmos colaborando, muitas vezes, inconscientemente, para uma sociedade doente.

Como podemos, então, reconhecer e neutralizar os sentimentos negativos que nos levam à PROCRASTINAÇÃO, ou seja, à tendência de deixar para depois as tarefas importantes, desagradáveis ou difíceis?

Como já sabemos, procrastinar é o ato de esquivar-se de uma tarefa que necessita ser realizada. É o mau hábito de deixar para amanhã o que pode ser feito hoje, atitude que pode causar sentimentos de culpa, desajustes, depressão e baixa autoestima.

Este hábito pode ocasionar consequências dolorosas, como insucesso profissional e a frustração nos assuntos e negócios particulares. Não é uma simples forma de preguiça. Ela pode produzir diversas situações, como por exemplo: fuga de experiências negativas, falta de capacitação, medo de comentários e avaliações de terceiros, hostilidade à tarefa ou à pessoa que a solicitou, pessimismo, perfeccionismo, passividade, necessidade de aceitação, baixa tolerância às frustrações, sentimento de injustiça, sobrecarga e etc.

Agora, depois de ratificarmos alguns diagnósticos que começamos a abordar na publicação  anterior, os quais completamos neste, vamos às respostas a grande pergunta título desta mensagem: COMO COMBATER A PROCRASTINAÇÃO?

Se você puder reconhecer e reformular alguns destes sentimentos de ansiedade e dúvidas, você poderá elaborar um plano para combater a tendência à procrastinação e gerenciar melhor o seu tempo. Abaixo, sugiro 7 problemas e suas respectivas soluções:

Problema 1 – Perfeccionismo e expectativas irreais. – Pensar que você não fez o melhor que possivelmente poderia fazer. O trabalho nunca está bom o suficiente para ser entregue.
Solução: Pare de procurar solução a qualquer custo. Defina um prazo firme para terminar. Comece logo e faça o melhor que você conseguir neste prazo.

Problema 2: Medo de Falhar. – Imaginar que se não fizer o melhor, você é um fracassado.
Solução: Reflita sobre a falha e use-a para aprender. Como posso fazer melhor na próxima vez? Aplique o que aprendeu na próxima tarefa ou teste.

Problema 3: Achar a tarefa enfadonha. Ficar paralisado pensando nos aborrecimentos que terá na execução de uma tarefa tediosa e cansativa.
Solução: Focalize suas prioridades e objetivos. Concentre–se nos resultados a serem obtidos. Prometa a si mesmo uma recompensa pela execução da tarefa, como por exemplo, alguns momentos de relaxamento.

Problema 4: Medo e ansiedade. Sentir-se esmagado pela complexidade e tamanho da tarefa e com receio de falhar. Como resultado você gasta muito tempo angustiado com o que tem a fazer, ao invés de agir.
Solução: Divida a tarefa em tarefas menores. Estabeleça metas específicas e realize uma de cada vez.

Problema 5: Dificuldade de Concentração. Sentado a sua mesa, você se vê a sonhar, flutuando no espaço, navegando na internet sem propósito e etc., ao invés de se dedicar a sua tarefa.
Solução: Esforce-se para fazer algo e dar a partida. Organize seu local de trabalho; leia ou revise o que já foi feito; Comprometa-se a trabalhar na tarefa pelo menos 10 minutos; Comprometa-se com mais 10 minutos e, assim por diante, conclua a tarefa.

Problema 6: Fraco gerenciamento do tempo. Procrastinação significa que seu tempo não está sendo utilizado com inteligência e racionalidade. Você pode estar inseguro quanto a seus objetivos e metas. Como resultado você se dedica a tarefas menos importantes, sem metas definidas.
Solução: Defina suas prioridades de acordo com a importância e urgência das tarefas. Prepare sua lista de coisas a fazer, de acordo com as prioridades definidas. Siga seu planejamento e não o que seria mais agradável de se fazer.

Problema 7: Problemas Pessoais: dificuldades financeiras, problemas no trabalho, conflitos espirituais, problemas familiares e/ou emocionais.
Solução: Procure um conselheiro, um Coach, ou um Amigo de sua confiança, que possa ouvi-lo e orientá-lo.

Espero isto tenha lhe ajudado!

Sabemos que nenhum assunto se esgota em um texto como este, contudo sei que as dicas acima podem tirar você da inércia, ao mesmo tempo que estimula o seu desenvolvimento pessoal.

Tudo o que almejo é ajudar vocês!

Com gratidão, um forte abraço!
Frank Moraes – O Coach.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *