EDUCAÇÃO x ÉTICA , UMA CONDUTA, que se completa.

Tempo de leitura: 6 minutos

Olá pessoal, tudo bem? Que bom! Estamos chegando ao final desta maratona sobre CONDUTA, estão vendo a importância da CONDUTA no nosso Desenvolvimento como Pessoas. Gostaria muito que escrevessem seus comentários, o que esta série tem contribuído para vocês. Porque a minha grande pergunta cujas repostas tem sido esta série, foi: QUAL O FIO, CANAL QUE LIGA, CONDUZ, TRANSFERE,  todo conhecimento a respeito de sua Espiritualidade, suas Emoções & Família, seu Profissional? SUA CONDUTA.

Se estás feliz, bravo, alegre, realizado, em paz, fervoroso, amando, sendo amado, realizando, sendo realizado, construindo, derrubando, focado, ativo, em ação, competindo, orando, fazendo amor, se divertindo, doente, se recuperando, se educando, se formando, atingindo objetivos, metas e sonhos, viajando, enquanto criança, enquanto adolescente, enquanto adulto, enquanto maduro, enquanto envelhecendo, sendo sábio, sendo inteligente, CUMPRINDO O MANDAMENTO de DEUS, quando disse: ” Sede fecundos, multiplicai-vos, enchei a terra e sujeitai-a; dominai sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus e sobre todo animal que rasteja pela terra.”

Estás rigorosamente exercitando algum tipo de CONDUTA!

E hoje vamos falar um pouco, se bem que superficialmente, sobre EDUCAÇÃO X CONDUTA, pois ambas se completam. Vamos então tratar deste assunto, primeiro falando de educação, depois de ética e finalmente as considerações finais, objetivando chamá-los atenção para vosso desenvolvimento pessoal, objeto maior deste recado.

A busca de uma aproximação entre a educação e aética se depara com dificuldades e situações paradoxais de toda ordem, explicitadas nos questionamentos que se apresentam logo a seguir. Não obstante estas condições que representam tantas dificuldades, é preciso pôr-se a caminho na busca desta aproximação.

Desde logo, tem-se claro que esta junção se fará de forma e imperfeita, num contínuo e constante processo de construção. Seria de todo desejável podermos afirmar que não é possível educação sem ética.

Daí algumas interrogações se impõe contundentemente ao refletirmos sobre esta aproximação: como será possível construir-se uma sociedade marcada profundamente pela participação de cidadãos éticos se o conjunto de idéias, ideais e valores que impregna o mundo atual não contempla a ética como algo necessário? e de forma pragmática?

Como ter, na educação um instrumento que venha a ser uma ferramenta, mesmo que imperfeita, de formação desta realidade ética, se ela só existe enquanto serve a sua maneira de funcionar? Por outra, como buscar uma educação impregnada de valores éticos em um mundo que não contempla a ética como valor imprescindível? Como um profissional da educação poderá pretender realizar sua tarefa cotidiana como educador se ele precisa responder as exigências de um sociedade que lhe impõe padrões de comportamento que em pouco ou nada contemplam uma postura ética fundamental?

Como buscar pelo menos uma aproximação entre a educação e a ética na prática cotidiana deste profissional da educação? ( alvo maior deste recado de coach).

Na contra partida de todas essas abordagens sobre Educação e Ética, em busca de uma aproximação indagações, cabe perguntar se não é mesmo possível haver educação sem ética?

Ou seja, uma educação sem ética deixa de ser educação? Precisamos conviver com a existência de mais perguntas do que respostas e certezas e com as contradições inerentes a uma realidade complexa e paradoxal. Mesmo assim, é preciso encontrar e  alimentar razões suficientes para acreditar que esta aproximação é possível, que o mundo é transformável e a esperança de uma realidade orientada por valores éticos pode ser construída.

Agora que tratamos da visão sistêmica da educação, e pré-concluímos o quanto tais premissas são complexas no desenvolvimento das pessoas;  agora vamos enxergar o outra lado deste recado a ÉTICA.

Entretanto, é preciso ter claro que a busca de uma educação marcada por  aspectos éticos, nunca se dará de uma forma absoluta e completa, como já foi dito anteriormente. Estamos sempre tratando da condição humana que, naturalmente, é marcada pela imperfeitabilidade e pela incompletude. De sorte que se impõe a idéia de se buscar uma educação em que os aspectos éticos estejam presentes. Contudo, isto sempre se dará de uma forma incompleta e imperfeita. Por isso, haveremos de falar, não na impossiblidade absoluta de haver uma educação sem ética, mas de uma busca de aproximação entre ambas.

Porém, sabe-se que justa medida será sujeita a tantas variáveis quantas são as relações humanas; isto quer dizer, serão infinitas as interveniências na construção de uma educação ética.

O ideal será sempre algo a ser atingido e nunca algo dado de forma acabada e perfeita.Perseguiremos, portanto, os múltiplos caminhos que apontam para uma aproximação entre a educação e a ética, sem podermos quantificar os seus limites.

Compromisso Ético na busca de uma aproximação entre a educação e a ética, servimo-nos mais uma vez dos argumentos de Imbert, que defenderá a idéia de um necessário engajamento ético efetivo leva-nos a enfrentar a questão do sujeito; o reconhecimento de sua essencial singularidade.

O engajamento ético, portanto, resulta de uma profunda consciência dos valores implicados nos atos humanos.

Somente esta consciência poderá resultar em um verdadeiro comprometimento com uma postura ética fundamental. É preciso, desde logo, reafirmar que não haverá espontaneísmo nesta construção, mas será necessária uma interação entre a educação e a ética, ao longo de todo processo educativo. Isto quer dizer que todo processo educativo. Isto quer dizer que todo o processo educativo precisará ser iluminado pela perspectiva ética para se constituir em um pleno processo de humanização.

Diante da brutalidade que o mundo conheceu no último século e que continua nos ameaçando cotidianamente até hoje, violências que se apresentam em todos os cantos e que já estão batendo em nossa porta, urge que a educação seja ética e forme cidadãos éticos, enquanto os prepara para suas especificidades técnicas. O sentido de alteridade é uma sensibilização que precisa ser aprendida pelas nossas crianças, jovens educandos de todas as idades.

Criar condições que despertem nos seres humanos o sentido de cuidado para com quem está ao nosso lado é tarefa da educação, ou seja, uma tarefa essencialmente ética.

Como isso, entendemos que a violência também tem, como causa, entre outros tantos determinantes, a falta de uma aprendizagem ética, estabelecendo-se aqui como tarefa educativa essencial.

Finalizo assim, após esta exposição que  quando criei o Método EFP DE DESENVOLMENTO DE PESSOAS, FIRMADO EM TRÊS PILARES: ESPIRITUAL, EMOÇÕES & FAMÍLIA E TALENTOS & COMPETÊNCIAS voltados para o PROFISSIONAL, este método não seria exequível, realizável, se não passasse por um objetivo de que é a EDUCAÇÃO, A ÉTICA e o CONHECIMENTO com inteligência e sabedoria, esta de origem DIVINA, ou seja sabedoria de Deus, pois Ele disse: ” SEM MIM NADA PODEREIS FAZER” ( João 15:5 – Bíblia Sagrada)  pudesse chamá-lo de DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS, processo contínuo de desenvolvimento.

Até o próximo recado onde estaremos finalizando esta série, objetivando o crescimento de todos que se acessem a este recado.

Forte Abraço,

Frank Moraes

O Coach.

2 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *